domingo, 22 de fevereiro de 2015

Movimentos populares horizontais

     As insatisfações perante a forma como os governos lidam com as questões em uma sociedade são capazes de gerar movimentos sociais de fato. Há alguns aspectos que diferenciam tais movimentos e aqui serão tratados os movimentos populares verticais e os horizontais. É sabido que a verticalidade é uma expressão da hierarquia e da democracia representativa e que, por isso, os movimentos verticais apresentam estruturas hierárquicas nas quais seus membros se apresentam organizados desde a base (a maior parte) até o topo (a minoria), onde se encontram as ditas lideranças e chefias. Tais estruturas estão presentes, por exemplo, nos partidos políticos nos quais estão os ditos representantes do povo. É claro que tenho inúmeras críticas a esta estrutura, mas elas não serão apresentadas neste texto.

     Já os movimentos populares horizontais têm estruturas mais condizentes com a Democracia Direta que possui características que, para muitos, ainda estão em desenvolvimento. Aliás, tais desenvolvimentos ocorrem por vivermos no seio da dita democracia representativa que apresenta diferenças profundas com a via direta. Mas retornando às características dos movimentos horizontais, agora serão apresentadas algumas delas. A horizontalidade é um conceito e uma prática muito importante, pois é ela que faz com que os membros destes movimentos saibam que todos têm importância nas lutas e, em função disso, não há destaques conforme há nas estruturas verticalizadas (hierarquizadas). Além disso, a horizontalidade é um conceito importante para o engajamento do indivíduo nas causas, já que estes sabem que não devem esperar por ninguém para realizar o que é necessário e tendo estes, condição de realizar. Isto tem nome, é Ação Direta, termo que ficou conhecido apenas por um dos seus significados, mas não pelo significado da ação de construção. Portanto, quando se deparar novamente com o termo Ação Direta é importante lembrar de todos os significados que ele apresenta para que o entendimento adequado possa ser feito. Outra característica interessante destas estruturas horizontais é a descentralização que é possível pela proatividade de seus membros (apresentam estruturas de redes descentralizadas e de redes distribuídas). Outras características destas estruturas são a práxis libertária, a ordem sem coerção e a autogestão.


     Pois é, será possível concluir que as características dos movimentos horizontais não são tão comuns na sociedade na qual que vivemos e é por isso que devemos agir para o desenvolvimento destas características e consequente desenvolvimento das estruturas horizontais. Muitos movimentos já fizeram a sua parte para o desenvolvimento de tais estruturas. Alguns tentaram integrar as estruturas horizontalizadas com as verticalizadas. Eu entendo que isso não é possível porque os meios e os fins de ambos são incompatíveis. Isso não é má vontade, em verdade, isso é não querer utilizar mais tempo para constatar por meio da prática o que já foi constatado. Portanto, é necessário que mais pessoas deem continuidade ao desenvolvimento dos movimentos populares horizontais para que eles possam avançar e ajudar a construir uma estrutura social mais humana e, consequentemente, mais justa.


Veja o que foi publicado em InterAção Popular Autônoma:

Sobre (informações sobre o site)

Liberdade - Primeira apresentação

Interações organizativas libertárias

Horizontalidade e verticalidade

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Seguidores

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO