quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

InterAções organizativas libertárias

"Não sou absolutamente um adversário da organização, mas não quero que se faça dela uma jaula." (Volin)


     Quando se fala em organização (ordem) pode vir à mente algo com estrutura rígida e hierárquica (verticalizada). É um entendimento que qualquer organização só irá alcançar os objetivos se nela houver controle sobre objetos, situações e pessoas. Isso já é cultural para muitos. Segundo este pensamento, os objetivos não serão alcançados se não houver estruturas hierarquizadas com lideranças, chefes, sub-chefes, departamentos, destaques individuais ou de grupos,  meritocracia dentre outras coisas do gênero. Esta estrutura equivale a uma Rede Centralizada. Conceitos de força (coerção, imposição), competição, individualismo, corrupção e os "jeitinhos" têm laços estreitos com esta visão.


     Contudo, é possível compreender organização através de um ponto de vista libertário e visualizá-la como uma Rede Distribuída (ver Teoria das Redes). Para que haja organização com esta estrutura (ordem sem coerção) é necessário que existam algumas características, tais como: comprometimento do indivíduo com a causa, que haja articuladores de rede (os que facilitam os fluxos: estes não são líderes e nem submissos, isto pois o sistema é horizontal), solidariedade, empatia e conhecimento da causa.

     É sempre bom lembrar que o real é construído a partir de uma idealização.



Veja o que foi publicado em InterAção Popular Autônoma:

Sobre (informações sobre o site)

Liberdade - Primeira apresentação

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Seguidores

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO